Caio Lucas, o brasileiro que tentará tirar o tri do Real Madrid no Mundial

O Al Ain, dos nos Emirados Árabes, ganhou destaque internacional na última terça-feira 18 ao eliminar o River Plate, campeão da Libertadores, e chegar à final do Mundial de Clubes da Fifa. Um dos grandes responsáveis pela classificação do clube representante do país-sede foi o atacante brasileiro Caio Lucas Fernandes, que nunca jogou uma partida oficial no Brasil e agora tentará tirar a coroa de tricampeão do poderoso Real Madrid.

Aos 24 anos, o atacante foi formado na base do São Paulo, na mesma geração de nomes importantes como Lucas Moura, Casemiro e o zagueiro Rodrigo Caio, mas não teve chances de subir à equipe profissional. Ele ainda realizou testes em outros clubes do país, porém foi recusado.

Em 2011, a vida do então garoto de 17 anos sofreu uma reviravolta. Caio Lucas recebeu um convite para estudar e realizar testes de futebol em clubes do Japão. Alguns anos depois de ter se mudado para o país asiático, finalmente conseguiu um contrato com uma equipe profissional — e justamente com o clube mais vencedor do país e que foi eliminado pelo Real Madrid na semifinal: o Kashima Antlers, que tem Zico como seu maior ídolo.

O brasileiro rapidamente começou a se destacar no futebol japonês e somou 27 gols em 100 jogos pelo Kashima. Caio, inclusive, chegou a cogitar uma naturalização para atuar pela seleção japonesa. A ideia, porém, foi descartada em 2016, quando ele se transferiu para o Al Ain, dos Emirados Árabes, que pagou cerca de 3 milhões de euros (cerca de 13 milhões de reais, na cotação atual) para tê-lo por quatro temporadas.

Com uma adaptação rápida, o brasileiro já marcou 45 vezes em 105 partidas pelo clube, contando com o belo gol marcado contra o River Plate na última terça, pela semifinal do Mundial de Clubes.

O Real Madrid eliminou o Kashima Antlers, do Japão, nesta quarta-feira, 19, e garantiu presença na final. Caio e o Al Ain tentam evitar o tricampeonato mundial consecutivo do Real Madrid no próximo sábado, a partir das 14h30 (de Brasília), nos Emirados Árabes.