BRB afasta dois diretores após Operação Circus Maximus da Polícia Federal

O Banco de Brasília (BRB) anunciou nesta noite de terça-feira, 29, o afastamento de dois membros de sua diretoria. Foram afastados os diretores Financeiro e de Relações com Investidores, Nilban de Melo Júnior, e de Serviços e Produtos, Aurélio Monteiro de Castro. A decisão é consequência da Operação Circus Maximus, deflagrada nesta terça pela Polícia Federal, que teve como alvo uma suposta organização criminosa no BRB.

Para os cargos, foi nomeado interinamente Oswaldo Serrano de Oliveira, até que novos diretores sejam escolhidos pelo conselho de administração. O banco ressalta ainda que Vasco Cunha Gonçalves não está mais na presidência do BRB, cargo ocupado interinamente por Kátia do Carmo Peixoto Queiroz até a posse de Paulo Henrique Bezerra Rodrigues Costa, que foi eleito para o cargo.

Segundo as investigações, um grupo criminoso no BRB, desde 2014, vem praticando, junto com empresários e agentes financeiros, crimes contra o sistema financeiro, corrupção, lavagem de dinheiro, gestão temerária, dentre outros.