Bolsonaro pode suspender benefícios se crédito não for aprovado

Ontem (8) o presidente Jair Bolsonaro disse em sua conta pessoal do Twitter que caso o Congresso Nacional não aprove o projeto do crédito suplementar, o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) será cortado.

O BCP tem como objetivo auxiliar idosos e pessoas com deficiência de baixa renda e será suspenso, segundo o presidente, no próximo dia 25 deste, acarretando graves consequências. O crédito suplementar (PLN 4/19) solicitado pelo presidente era no valor de R$ 248,9 bilhões.

Em sua rede social, afirmou ainda, que demais auxílios destinados à sociedade de baixa renda, como o Bolsa Família, Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), serão suspensos também.

Segundo a Agência Brasil, o senador Marcelo Castro (MDB-PI), que é presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO), esteve em reunião na quarta-feira (5) com o deputado Hildo Rocha (MDB-MA) para tentar a aprovação do crédito, porém o resultado não foi positivo.

A justificativa do governo para a suspensão dos serviços de auxílios à sociedade é que é uma ação até que ocorra a aprovação do pedido de crédito. Assim, não irá se descumprir a regra de ouro, que é o impedimento de emitir dívidas para despesas como salários.

Segundo o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, se espera que o Congresso vote na matéria no próxima dia 15 de junho. Mansueto dá a explicação que, caso não ocorra a votação, o plano Safra 2019/2020 também não será anunciado, devido ao fato de haver crédito.

Fonte: www.viagora.com.br/noticias/bolsonaro-pode-suspender-beneficios-se-credito-nao-for-aprovado-74879.html