Smart Money: Exclusividade de Anjos e Fundos?

 Paulo Deitos, co-fundador da CapTable

Smart money nada mais é que o dinheiro com valor extra-monetário, são investimentos que vão além do capital. No universo das startups o capital é muito importante, é ele que garante que a empresa não morra antes de conseguir trazer um produto finalizado ao mercado e adquirir clientes suficientes para garantir lucro. Mas o investimento por si só, estritamente monetário, não é o que necessariamente trará crescimento para uma startup.

Tradicionalmente o smart money nada mais é que um adicional que um investidor-anjo ou fundo de investimento traz para a startup investida. Esses adicionais podem ser a experiência no mercado em que a startup atua, insights sobre o modelo de negócio e networking, ou seja, o acesso aos grandes players do mercado. Mas será que somente investidores anjos ou grandes fundos possuem smart money?

Uma outra alternativa aos modelos tradicionais de investimento é o crowdfunding. O investimento em startups através do crowdfunding é um modelo que possibilita que vários investidores se unam, contribuindo valores menores, para totalizar uma rodada de investimento significativa para a startup. É comum ouvir dizer que esse tipo de investimento não traz smart money. Mas será verdade?

A realidade é que o crowdfunding traz sim smart money, apenas trata-se de uma forma diferente de agregar valor. Se você parar pra pensar, uma rodada de crowdfunding traz em média 200 investidores para sua startup, cada um com suas conexões, experiência e conhecimento. Apesar de muitas vezes terem redes de contatos menores, conhecimento e experiências mais específicos, a força vem justamente do coletivo.

O smart money do crowdfunding pode ser mais valioso que o tradicional, trazendo novos clientes, garantindo exposição na mídia e gerando embaixadores espalhados pelo país. Muitas vezes, seu investidor se torna cliente, muito fiel, da startup e passa a divulgar o produto/serviço para seus conhecidos. Tudo isso acaba gerando muito valor para o empreendedor, garantindo que ele aumente seu número de clientes e garanta divulgação gratuita e espontânea.

CapTable, plataforma de investimentos em startups da StartSe, sempre acreditou nesse valor e defendeu o modelo. Recentemente, no entanto, pudemos comprovar esse valor, com algumas startups que captaram através da plataforma destacando os ganhos em exposição, novos contratos e clientes conquistados através da divulgação boca-a-boca dos investidores.

Em resumo, todos os tipos de investimento são válidos para uma startup, mas dizer que o crowdfunding não gera smart money é equivocado. Gera smart money de forma diferente, possibilitando o conhecimento da marca, exposição midiática e o aumento de clientes promotores da startup. Além disso o LTV (valor do tempo de vida do cliente) da startup aumenta, já que o investidor de uma determinada startup é geralmente cliente fiel dela e diminui o CAC (Custo de Aquisição de Cliente), ao possibilitar que novos clientes potenciais conheçam a solução proposta, de forma gratuita.

Entender as diferenças do smart money trazido pelos meios tradicionais de investimento e aquele que o crowdfunding proporciona é essencial para que o empreendedor tome a decisão correta sobre qual tipo de investimento é mais adequado ao momento em que a startup se encontra. Sem dúvida, os modelos possuem vantagens diferentes e o conhecimento sobre elas é a melhor forma de garantir que se escolheu o caminho correto.

Se você deseja conhecer a CapTable e acompanhar nossas captações por meio de crowdfunding, inscreva-se na plataforma. Dessa forma, você ficará sabendo em primeira mão de novas oportunidades, podendo se tornar sócio de startups inovadoras e trazer valor a elas. E, se você é empreendedor e ficou interessado no modelo, preencha nosso formulário de cadastro para que possamos analisar sua startup.

Um forte abraço,

Paulo Deitos — Co-Fundador da CapTable

Coronavírus em Tempo Real